Tecnologia: teste consegue com sucesso entregar materiais de coleta laboratorial através de drone

Tecnologia: teste consegue com sucesso entregar materiais de coleta laboratorial através de drone

Um projeto de demonstração para mover amostras laboratoriais através de drones foi posto em prática em Lugano na Suíça e foi considerado um sucesso pelos seus idealizadores.

O teste foi realizado em parceria do Ticino EOC (um grupo médico de oito hospitais em Lugano, com o serviço postal da Suíça Swiss Post e o conhecido fabricante de tecnologia de transporte Matternet de Menlo Park).

De acordo com o site da Matternet, o drone utilizado no teste foi projetado com comunicações criptografadas, um pára-quedas, desembarque de precisão e uma série de outros recursos extras, tudo programado para garantir a segurança em torno de pessoas e edificações.

Além disso, para a satisfação de todos os profissionais envolvidos no projeto, todo o material coletado chegou ao destino íntegro e com a qualidade preservada.

Como surgiu a ideia?

A ideia surgiu a partir da necessidade de diminuir atrasos, escapar do trânsito e facilitar a entrega de coleta laboratorial para hospitais, que precisam receber amostras e bolsas de sangue o quanto antes para dar continuidade a tratamentos e até mesmo salvar vidas.

Entenda como funciona

Inicialmente a entrega de materiais de coletalaboratorial através de um drone na Suíça só será permitida entre as empresas (instituições de saúde e laboratórios), visto que voar diretamente para residências seria um inconveniente, pois a tecnologia ainda não conseguiu construir um drone silencioso.

A ideia é que quando um técnico precisar enviar com urgência uma amostra ele utilize um aplicativo para realizar a solicitação no sistema. Após isso, ele deverá pôr a amostra coletada em um recipiente próprio para transportar materiais biológicos.

E seguida, através de um código (QR Code), acopla o item que precisa ser enviado. Depois, o sistema que gera uma rota para entrega, fica responsável pelo resto do serviço. Quando o drone aterrissa no seu destino, alguém é notificado e consegue pegar a amostra enviada usando o mesmo aplicativo.

Enquanto os drones operam de forma autônoma, os operadores monitoram o voo deles a partir de uma estação remota, estando prontos para fazer um pouso de emergência ou, se necessário, enviar um técnico a um determinado local.

Em testes, a Matternet descobriu que uma viagem que demora 25 minutos de carro (dependendo do trânsito), pode levar cerca de três minutos se for realizada por um drone.Além disso, considera-se a possibilidade desse serviço diminuir em 20% a 50% os gastos com transporte terrestre.

Drone nas cidades

Antes de colocar o sistema para funcionar, foi preciso conversar com autoridades do trânsito aéreo, o governo suíço e polícias do país para aprovar rotas e funcionamento dos drones.

A Matternet precisou provar que os drones poderiam operar com segurança, em locais com grande densidade populacional e sem o risco de colisão com outras aeronaves, como helicópteros.

Estima-se que até o final de dezembro de 2017, os drones passem a voar por toda a Suíça para entregar materiais de coleta laboratorial.

Que essa novidade e grande avanço possa em um futuro próximo fazer parte da rotina de laboratórios e hospitais brasileiros!

Compartilhe essa página

Deixe seu comentário