TI hospitalar: como funciona e quais são seus grandes desafios

A Tecnologia da Informação está aos poucos ganhando um novo significado e garantindo um espaço mais relevante na área da saúde, espaço esse que vai além da resolução de problemas técnicos em equipamentos e máquinas.

Essa evolução se faz presente principalmente pelo crescimento do movimento mundial de informatização da indústria hospitalar, a TI Hospitalar, que tem adotado cada vez mais sistemas, serviços e equipamentos tecnológicos, segundo dados apontados em uma pesquisa realizada em 2016.

Entre os principais motivadores desses investimentos estão os ajustes de processos operacionais (46%), redução de custos (44%), as melhorias na produtividade dos colaboradores (50%) e a segurança patrimonial e da informação (como apontaram 53% dos executivos do setor).

Veja como funciona a TI hospitalar:

  • Ao utilizar agendamento via web, softwares de gestão e registros médicos computadorizados, os hospitais promovem a redução de custos, aumento da rentabilidade e melhorias na qualidade da assistência;
  • Com uma estrutura tecnológica de qualidade é possível melhorar aspectos, tais como: unificação das comunicações, segurança patrimonial, monitoramento de ambientes, controle de acesso, integração de departamentos, padronização dos serviços, entre outros;
  • Com o advento da nuvem, todos os profissionais da área da saúde ganharam mais mobilidade para operar os sistemas onde quer que estejam, por meio de diversos dispositivos conectados a web;
  • Os pacientes podem acessar facilmente informações via internet, agendar consultas e ter acesso a resultados de exames;
  • É possível guardar históricos de consultas e desse modo agilizar a resolução de problemas e diminuir alguns erros médicos;
  • Ao criar um workflow de trabalho (sequências lógicas parametrizadas em sistemas), é possível distribuir tarefas automaticamente aos departamentos e profissionais, o que potencializa os resultados;
  • Ao cruzar informações de diversos departamentos, é possível evitar erros e lentidão em um atendimento, o que pode ser decisivo para salvar vidas.

Confira alguns recursos que já estão sendo utilizados na TI hospitalar:

  • Prontuário eletrônico – acesso rápido ao histórico do paciente;
  • Telemedicina – procedimentos e colaboração a longa distância;
  • Robótica – máquinas realizando procedimentos cirúrgicos e fazendo check-ups automáticos;
  • Laser – emissão estimulada de radiação para tratar doenças.

Toda a abordagem médica em termos de tratamento, relação médico-paciente, diagnóstico e gestão de instalações de saúde vem sendo otimizada graças a TI hospitalar, mas apesar de já haver esses e outros benefícios, há mais potencial para ser aproveitado.

Para isso, é necessário que gestores vejam a TI como a sua grande aliada e fique de olho nas tendências nessa área, caso contrário ficará difícil competir com as demais instituições hospitalares que acompanham essa evolução.

O melhor caminho é buscar parcerias e fornecedores de sistemas e serviços e investir no desenvolvimento de novas ideias e projetos, sempre que possível!

Compartilhe essa página

Deixe seu comentário